sábado, 29 de março de 2014

A joão-miguel-tavarização da opinião




10 comentários:

Anónimo disse...

Antes demais gostaria de o felicitar pela forma como tem exposto o embuste que tem sido esta governação, à parte do desempenho que referi gostaria que me relembrasse as suas posições aquando dos programas de estabilidade e de crescimento. Gostaria também de saber que alternativas conseguia ver à data.

Jose disse...

«As crises económicas devem combater-se com políticas keynesianas» são palavras que muito prestigiam qualquer economista que saiba definir uma crise económica.
Mas que dizer de uma crise financeira sistémica?
Ou de uma crise estrutural construída em falácias e subsídios?
Ou que dizer se os governos ignoram tudo o mais que disse Keynes e decidem chamar ao descontrolo orçamental 'política keynesiana'?
Jogos de sombras que definem a mediocridade das elites manifestantes!

Anónimo disse...

Jose coloca questões!
Que dizer da crise financeira sistémica? Ou da crise estrutural? Ou dos governos que obedecem aos preceitos neoliberais,mostrando o que é o capitalismo e o que se pode esperar deste?
Mas tudo isto tem sido abordado de múltiplas formas, em múltiplas ocasiões, de maneiras e com sensibilidades diversas aqui,neste mesmo blog.

Mas francamente que jogo de sombras e mediocridade é este duma elite de que faz parte jose?


(a frase "se os governos ignoram tudo o mais que disse Keynes e decidem chamar ao descontrolo orçamental 'política keynesiana" é por demais disparatada para um outro comentário que o do sublinhar ter uma provável proveniência da escola do Relvas)

De

Jaime Santos disse...

João Miguel Tavares é demasiado inteligente para não perceber que utilizou aqui dois truques sujos clássicos: o 'straw-man' retirando as palavras de João Galamba fora do contexto e o 'shot-the-messenger', em que ataca o Manifesto atacando um dos seus subescritores... Isso permite-nos vislumbrar da honestidade intelectual da personagem. Keynes, por seu lado, defendeu políticas anti-cíclicas, ou seja estímulos económicos e descida de impostos durante as recessões, com o consequente aumentos dos déficits e retirada desses estímulos ('retirar a taça do ponche quando a festa está boa') e aumento de impostos e pagamento da dívida quando a economia cresce (veja-se a posição do Mark Blyth, por exemplo). Aliás, a principal causa da recessão de 2008 foi provavelmente o alimentar da bolha imobiliária com as políticas pró-cíclicas de Greenspan, mas o senhor Greenspan é um Libertário de Direita, não é definitivamente um Keynesiano...

D., H disse...

Bem! O título já diz muito.
Acho que o JMT deve continuar a fazer aquilo que melhor sabe, que é escrever manuais, tal como o “Manual de sobrevivência para pais e maridos”, e por aí fora…

Jose disse...

«...alimentar da bolha imobiliária com as políticas pró-cíclicas de Greenspan»
Os meus dólares suportam bem os dislates do Grenspan; já os meus impostos estão a pagar os desmandos dos copycats apalhaçados Guterres e Sócrates!

Nuno Serra disse...

Caro José, não sei se já reparou, mas parece-me que a sua propensão para o insulto está a aumentar na razão inversamente proporcional à qualidade dos seus argumentos

Anónimo disse...

Há quem não goste de qualquer comentário crítico ao Grenspan e reaja de forma um pouco intempestiva, chegando ao ponto de oferecer a este os seus dólares de presente.
Tal coloca numa zona de legalidade um pouco cinzenta tanto o ofertante como o alvo da oferta.

Mas o que sobressai mais é a incapacidade para não reconhecer que as políticas seguidas pelos responsáveis ultra-liberais fazem parte da génese do problema e do seu agravamento.

Quanto à fuga para os impostos como forma de "limpar" a porcaria feita pelo grenspan não colhe.
Porque não perguntar de forma serena pelo roubo dos salários e das pensões feitas pelos neoliberais governantes?
Ou pelo roubo do direito à saúde , à educação , ao emprego, à segurança social etc etc pelos mesmos personagens?
Ou pelo aumento dos impostos feitos pela mesma canalha com os objectivos que se conhecem?
Porque motivo temos que pagar os desmandos desta sociedade feita em função do capital e dos seus xclisivos interesses?

Porque ao contrário de alguns que têm dólares para almofadarem o tal grenspan, há muitos e muitos que não têm mais do que a venda do seu trabalho ou os seus descontos para a segurança social ao longo duma vida de trabalho como forma de subsistência.E não podem viver das rendas e dos negócios escuros da banca, do capital e dos seus próceres.

"É o capitalismo estúpido".

De

Jose disse...

Nuno Serra, lembro-lhe que qualquer dos citados perdeu ministros das finanças, pelo que terão sido bem esclarecidos sobre as consequências das suas políticas.

Lowlander disse...

Caro Nuno,

Como ja disse em outro comentario. O comportamento desse personagem e tipico de troll. O objectivo e causar respostas emocionais por parte do resto dos leitores e causar disturbio no topico de discussao.
Isto de responder e contra-argumentar nao levara a lado algum.
Os trolls nao se da sustento, so regulacao.