segunda-feira, 24 de março de 2014

Lágrimas de crocodilo, em tempo de eleições


«Gostaria que os credores tivessem sido mais bondosos nas metas», diz Nuno Melo, o eurodeputado do partido de um governo que fez questão em ir irrevogavelmente «além da troika», duplicando a austeridade inscrita na versão inicial do memorando (com as consequências que estão hoje à vista de todos).

8 comentários:

Anónimo disse...

As soluções sérias desta gentalha só me fazem é rir.
Pelos vistos, infelizmente e a crer nas sondagens,ainda há muita gente a acreditar na banha da cobra destes sujeitinhos que dão asco só de olhar para eles.
Vendedores da pátria é o que esta gentalha é.
Depois de atearem o fogo(depois de feitas intencionalmente as malfeitorias)vêm dizer que está a arder(que estão arrependidos.
Só gente desta.!

Jose disse...

Duplicou? Só se for para o privado, que no público vai devagarinho sob a excelsa protecção da toga constitucional!
A grande conquista de Abril foi blindar a função pública para garantir a base de apoio do 'rumo ao socialismo' que tudo o mais haveria de pagar.
Agora choram lágrimas de crocodilo pela classe média e pelos desempregados...

Anónimo disse...

O que esta gente ainda não percebeu é que os credores não mandam nada.

Portugal tem a faca e o queijo na mão. A decisão mais correcta seria suspender os pagamentos referentes à dívida. Desta forma, os credores seriam obrigados a negociar caso quisessem receber alguma coisa.

Bem, podiam sempre tentar recorrer aos tribunais mas como é óbvio nenhum tribunal português lhes ia dar razão.

D., H disse...

Começou a Farsa…
“Diante dos eleitores, com máscaras e orelhas de burro, os candidatos burgueses, vestidos de palhaços, dançarão a dança das liberdades políticas, limpando a cara e a testa com os seus programas eleitorais de múltiplas promessas, e discursando com lágrimas nos olhos sobre as misérias do povo…”

Anónimo disse...

Começou mesmo a farsa.
E os farsantes como o jose têm também um papel nela.
Veja-se a forma como se tenta à boa maneira de outros tempos atirar o odiento da situação para os funcionários públicos.
"Esquecem-se" dos ricos cada vez mais ricos."Esquuecem-se" das rendas dos que vivem à sombra dos negócios "empresariais"."Esquecem-se" de quem governa, como governa e para quem governa
Vomitam o seu ódio ao tribunal constitucional ,ansiando pela lei do mais forte e pela ausência do direito.Prefeririam a constituição de 1933 como um ladrão uma vez teve a desfaçatez de o escrever.
Agora choram lágrimas de crocodilo e mostram a que são e ao que vêem.
De

Anónimo disse...

Tem graça que li uma coisa do jose sobre os desempregados em que este os crismava de "piegas" e os insultava por não tentarem sair da sua zona de conforto.
Mais.
Li também este jose a apelar de forma algo histérica ao despedimento dos que considerava "ineptos"
O termo "ineptos" faz lembrar outros tempos não?
Tal como agora as lágrimas de crocodilo de jose sobre os desempregados me fazem lembrar o "cristal " dos vidros partidos da mesma época
De

Anónimo disse...

O José é um dos muitos indivíduos com tempo livre a mais do que a sua estatura intelectual pode aguentar. Trata-se de um inapto digital que devia ser corrido, sem mais pieguices, do espaço público virtual !

Anónimo disse...

Este José, Zézinho ou lá o que é, bem podia era emigrar e seguir o conselho do seu patriarca, o Passos Coelho.
E para que ele saiba, a grande conquista de Abril foi permitir que pessoas como ele e outros quejandos, falem e escrevam á vontade ainda que sejam só disparates, como é o caso.
Quanto á "toga constitucional" aprenda que os juízes não usam toga. A toga é usada pelos Advogados, percebeu.! Se quer saber mais vá procurar que só lhe faz bem para ocupar a cabeça e não dizer disparates.
Com tanto disparate junto não me admirava nada que o tal José fosse o Passos Coelho disfarçado.!
Chiça, va de retro satanás.!